Você sabe o que é Infoxicação?

Relacionamento: O que fazer para dar certo
maio 22, 2021
O que fazer para parar de procrastinar?
junho 26, 2021
Exibir tudo

Você sabe o que é Infoxicação?

Em 1996 o físico espanhol Alfonso Cornella denominou pela primeira fez o termo infoxicação, se referindo à uma intoxicação causada pelo excesso de informação.

Paralelamente, existe a linha de pensamento do psicólogo britânico David Lewis. Infoxicação, para ele, também atende pelo nome de Síndrome da Fadiga Informativa, que causa uma espécie de “sensação de paralisia e impotência” para processarmos tantos dados, prejudicando nossa capacidade analítica.

Mais de 20 anos atrás já se falava em excesso de informação como algo prejudicial…

Acontece que, com o avanço da tecnologia nos últimos anos, o alcance da Internet e das redes sociais potencializaram o acesso à informação.

Conteúdos circulam muito mais rápido e em enorme quantidade. No bolso da sua calça existe uma ferramenta capaz de acessar milhões de bytes de informações em poucos cliques, o celular.

Basta atualizar o seu feed, em qualquer rede social, para obter as principais notícias do dia.

Acessar o YouTube e receber recomendações de vídeos e mais vídeos…

Ou mesmo com uma simples pesquisa no Google você descobre aquilo que antes demoraria dias em uma biblioteca para descobrir.

Sabe aquele ensinamento popular de que “quantidade não é qualidade”? Pois é, isso é cada vez mais evidente na nova era da informação.

A era do excesso.

 

  1. Por que informação em excesso pode ser prejudicial?

 

A questão é que ter acesso a uma infinidade de informações não é sinônimo de estar bem informado. Além disso o gasto de energia que nosso cérebro precisa para interagir com todas essas informações é gigantesco e estressante.

Afinal, não é nada fácil distinguir quais são os fatos realmente relevantes, processar, analisar, absorver e descartar tanto conteúdo.

Além dessa gama de informações que acabam gerando uma obesidade mental, cada vez mais aparecem as famosas Fake News, notícias com cara de reais, mas que na realidade são falsas.

Com essa grande exposição, as pessoas têm dificuldade para se concentrar na leitura de um texto mais longo. Além disso a multitarefa, instigada pelo uso de smartphones e outros aparatos tecnológicos, acabou tornando o nosso dia a dia ainda mais exaustivo. Sempre estamos fazendo algo e geralmente várias coisas de uma só vez.

Com a pandemia e o distanciamento social, as relações pessoais e interação social, deu lugar para o mundo online, acelerando ainda mais esse processo de infoxicação. Vivemos um momento no qual mais do que nunca utilizamos redes sociais e consumimos informações a todo momento. Pare um segundo e pense: Quantas vezes você abriu seu Whatsapp hoje ou o seu Instagram?

O efeito desse comportamento, a longo prazo, é um processo de desinformação. Seu cérebro fica tão cansado e vivendo no automático que passa a ter somente um acesso raso, superficial e limitado ao conhecimento.

Você pode estar confuso agora já que de certa forma está consumindo informação por artigo.

Isso não seria infoxicação?

Qual é a diferença entre esse artigo e informações que te intoxicam?

 

  1. Informações Intoxicantes X Relevantes

 

Se, algum tempo atrás, a evolução tecnológica nos deixava na “Era da Informação”, agora percebemos que o excesso pode não ser tão benéfico.

Mais de 2,2 milhões de terabytes de novos dados são gerados todos os dias no mundo todo.

A quantidade de dados circulando na internet corresponde à leitura de 174 jornais por dia, por pessoa — de acordo com um estudo da USC Annenberg School for Communication & Journalism.

Justamente por isso que há uma necessidade vital em filtrar as informações relevantes das intoxicantes.

Diferentemente de rolar o feed, assistir vídeos “recomendados” e se perder nos comentários do Facebook, esse artigo foi produzido especialmente para você. E as informações foram filtradas anteriormente para um melhor proveito.

E é exatamente esse tipo de conteúdo que você deve buscar consumir!

 

  1. Diferença entre Informação e Conhecimento

 

O termo informação é descrito como os dados estruturados, organizados e processados, apresentados dentro do contexto, o que pode torna-lo relevante e útil para a pessoa que o deseja.

Ou seja, informação é basicamente dados brutos relativos a pessoas, lugares ou qualquer outra coisa, que é expressa na forma de números, letras ou símbolos.

Já o conhecimento é a informação utilizada de forma inteligente. É a informação processada e já transformada em experiência por uma pessoa.

Dessa forma, vemos uma relação entre informação e conhecimento de forma direta.

Portanto, o conhecimento acontece, quando a informação é aplicada.

A informação inútil dificilmente vira conhecimento, e acaba ocupando o espaço que deveria ser de informações relevantes.

 

  1. Consequências da Infoxicação

 

Na era da infoxicação pós COVID, ansiedade, depressão e transtornos mentais dispararam…

As pessoas nunca estiveram tão inquietas quanto agora.

Esses são os 10 principais sintomas da era da infoxicação. Você se reconhece em algum deles?

 

  1. Sensação de constante falta de conhecimento, dando início a um ciclo pela busca por mais informação e nunca é o suficiente, parece que você nunca está pronto;
  2. Dificuldades na capacidade analítica e na tomada de decisão, criando pessoas cada vez mais indecisas, afinal são muitas opções;
  3. Hiperconectividade, que é o desejo de sempre estar on-line (e a aflição de ficar offline mesmo que por curtos períodos), você acessa redes sociais dezenas de vezes por dia, mesmo sabendo que não há nada novo às vezes;
  4. Dispersão e perda de foco com rapidez e frequência, parece impossível se concentrar em algo por mais tempo;
  5. Perda de foco principalmente durante o estudo ou procrastinando algo de trabalho. Ver uma mosca voando parece mais interessante;
  6. A dificuldade de concentração generalizada, mesmo fazendo algo que adora não consegue ficar sem conferir o celular;
  7. Estresse à flor da pele e piora nos relacionamentos pessoais;
  8. Insônia à noite e sono durante o dia;
  9. Sensação de impotência e falta de produtividade depois de passar horas nas redes sociais ou assistindo séries;
  10. Percepção de que todos estão evoluindo, menos você.

 

  1. Como evitar a Infoxicação?

 

Você pode se utilizar de boas práticas para se desintoxicar do excesso de informações que nos rodeiam a todo momento.

 

#1 – Escolha com cuidado suas fontes de informação

 

Valorize o seu tempo!

Seja em redes sociais, seja em sites de notícias ou em outros meios de buscar informações.

Se você conhece canais, perfis que trazem conteúdo de alto valor e relevante, como o @equipefgmaster no Instagram, foque sua atenção nesses canais.

 

#2 – Cheque se as informações são verdadeiras

 

Um dos grandes vilões é o disparo de Fake News. Com isso, a infoxicação contamina mais pessoas e com ainda mais rapidez, tendo em vista que são, no geral, notícias de grande impacto pautadas em mentiras.

 

 #3 – Limite o tempo que utiliza redes socias

 

Vale a pena criar um horário para que você se discipline e compreenda quando é o momento certo para se atualizar e também quando a atividade já é o suficiente.

 

#4 – Meditação

 

A meditação é uma das melhores alternativas para você aprender uma nova forma de viver.

Aliás, a meditação é a próxima revolução do ser humano.

Revolução essa que ajuda e muito a desintoxicar informações uma vez que uma das funções primordiais da meditação é justamente auxiliar o meditante a focar no agora.

“A Wandering Mind Is An Unhappy Mind”, tradução literal “Uma mente errante é uma mente infeliz”, é um artigo de 2010 publicado na revista Science sobre um estudo que evidencia a distração mental como responsável pela infelicidade.

E descobriu-se que as pessoas passam cerca de 47% do tempo divagando sobre coisa alguma. E isso seria um fator de infelicidade muito maior do que consumir ativamente um assunto desagradável, por exemplo.